ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

Notícias

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem completa 20 anos

Nos dias 29 e 30 de novembro de 2017, no espaço do X SINPEn, estaremos celebrando os 20 anos da...

Informação 1

A Escola Anna Nery Revista de Enfermagem está filiada ao Committee on Publication on Ethics (COPE)

Informação 3

Taxas de Publicação e Tradução de Artigos
Mais Notícias

Volume 14 , Número 2 , Abr/Jun - 2010

EDITORIAL

1  - Ato médico: considerações gerais para a disciplina de enfermagem

Marcos Antônio Gomes Brandão

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 217-219

Download

 

FAC-SÍMILE

2  - O serviço social

Maria Angélica de Almeida Peres; Tânia Cristina Franco Santos; Pacita Geovana Gama de Sousa Aperibense

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 220-222

Download

 

PESQUISA

3  - Educação em saúde no programa de controle da hanseníase: a vivência da equipe multiprofissional

Maria Cristina Dias Silva; Elisabete Pimenta Araújo Paz

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 223-229

Resumo Download

Esta investigação aborda a vivência dos profissionais de serviços básicos de saúde do município do Rio de Janeiro, que realizam atividades de educação em saúde no Programa de Controle da Hanseníase. Os objetivos foram compreender o significado dessas atividades e discutir como o conceito de educação em saúde se relaciona com esta prática. Utilizou-se a fenomenologia de Martin Heidegger como método de obtenção e análise dos depoimentos. Os significados evidenciaram as atividades educativas fundadas nas normas do Programa de Controle da Hanseníase e na tradição de que educação em saúde é transmitir informações necessárias ao cuidado e adesão ao tratamento. Mostrou-se um modo impessoal de desenvolver os conteúdos educativos e um discurso oriundo da prática educativa tradicional. Concluímos que a realização das atividades de educação em saúde ainda está dominada por um fazer inautêntico, mas que este não retira dos profissionais a possibilidade de se voltarem autenticamente ao ser com hanseníase.

Palavras-chave: Educação em Saúde. Hanseníase. Atenção Primária à Saúde

 

4  - Expectativas de familiares de clientes em UTI sobre o atendimento em saúde: estudo sociopoético

Fabíola Soares da Silva; Iraci dos Santos

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 230-235

Resumo Download

Considerando a política de humanização no atendimento de saúde, tem-se como o problema de pesquisa: quais são as expectativas dos familiares de clientes internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) quanto à humanização no atendimento pela enfermagem atuante neste setor?
OBJETIVO: analisar a dimensão imaginativa dos familiares de clientes hospitalizados em UTI, identificando suas expectativas sobre o atendimento de suas necessidades humanas pela equipe de enfermagem. Pesquisa sociopoética realizada em 2008 em um Hospital do Rio de Janeiro, Brasil. Grupo Pesquisador: 11 familiares.
RESULTADOS COM AS CATEGORIAS ANALÍTICAS: Superando sentimentos de ansiedade; Refletindo sobre as informações de saúde e Fontes de superação da internação do familiar em UTI. Concluiu-se que os familiares expressaram expectativas positivas em relação à internação do cliente, por meio do acolhimento e das informações recebidas. Como contribuição do estudo, acredita-se que, com a orientação e o acolhimento da enfermagem, eles poderão ultrapassar suas expectativas, possibilitando seu crescimento individual e maior aquisição de habilidades em qualidades humanas.

Palavras-chave: Enfermagem. Família. Humanização da Assistência

 

5  - Repercussões psicofísicas na saúde dos enfermeiros da adaptação e improvisação de materiais hospitalares

Norma Valéria Dantas de Oliveira Souza; Déborah Machado dos Santos; Érica Lima Ramos; Caroline Tavares da Anunciação; Priscila Cristina da Silva Thiengo; Marcela Costa Fernandes

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 236-243

Resumo Download

Pesquisa qualitativa descritiva. O objeto de estudo foram as repercussões psicofísicas para a saúde dos enfermeiros diante da necessidade de adaptação e improvisação de materiais e de equipamentos para assegurar a prestação do cuidado em situação de precarização das condições de trabalho. Os objetivos foram analisar os sentimentos dos enfermeiros diante da necessidade de adaptação e de improvisação de materiais e de equipamentos no ambiente hospitalar e discutir as repercussões na saúde do enfermeiro diante desta necessidade. Os sujeitos foram 25 enfermeiros que atuavam em unidades de internação de um hospital escola da cidade do Rio de Janeiro. O instrumento de coleta foi a entrevista semiestruturada. Os resultados demonstraram que, devido às frequentes adaptações e improvisações de materiais, os enfermeiros sofrem repercussões negativas na saúde: medo, angústia, estresse, irritação, dores nas pernas e região lombar, cefaleia e cansaço.

Palavras-chave: Enfermagem do trabalho. Adaptação. Emoções

 

6  - Condições de trabalho da enfermagem nas enfermarias de um hospital universitário

Maria Yvone Chaves Mauro; Andréia Fontes da Paz; Carla Christina Chaves Mauro; Michely Alexandrino de Souza Pinheiro; Viviane Gomes Silva

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 244-252

Resumo Download

Trata-se de um estudo que aborda a temática do trabalho de enfermagem e tem como foco a percepção dos trabalhadores de enfermagem sobre as suas condições de trabalho. O estudo é do tipo não experimental, com abordagem quantitativa. O objetivo deste artigo é identificar e discutir as condições de trabalho dos trabalhadores de enfermagem nas enfermarias de um Hospital Universitário (HU). Utilizou-se como campo um HU do Estado do Rio de Janeiro, com uma amostra constituída de 296 trabalhadores de enfermagem, no ano de 2008. Nos resultados, foram indicados os fatores de riscos biológicos, físicos, ergonômicos e químicos. Conclui-se que as condições de trabalho são inadequadas e desfavorecem a saúde dos trabalhadores de enfermagem. Este estudo permite ao trabalhador e à instituição discutir o meio ambiente ocupacional e propor mudanças no processo de trabalho.

Palavras-chave: Condições de Trabalho. Saúde do Trabalhador. Riscos Ocupacionais

 

7  - Prazer e sofrimento de trabalhadoras de enfermagem que cuidam de idosos hospitalizados

Juliana Petri Tavares; Carmem Lúcia Colomé Beck; Rosângela Marion da Silva; Margrid Beuter; Francine Cassol Prestes; Lucimara Rocha

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 253-259

Resumo Download

Estudo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, realizado com trabalhadores de enfermagem de um Hospital Universitário. Teve como objetivos conhecer o significado de ser idoso e identificar os fatores de prazer e sofrimento no cuidado aos idosos. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, submetidos à técnica da análise temática em torno de três eixos: o significado de ser idoso; os fatores de prazer e o sofrimento no cuidado ao idoso. As trabalhadoras de enfermagem associaram o idoso aos processos fisiológicos inerentes ao envelhecimento e ao surgimento de doenças. A superação de limites pelo idoso, a valorização dos cuidados prestados e a troca de experiências proporcionaram prazer às trabalhadoras. O sofrimento das trabalhadoras ocorreu diante de situações como abandono, descaso e iminência da morte dos idosos. Sugere-se organização de grupos de apoio e de espaços para as trabalhadoras compartilharem o prazer e o sofrimento no cuidado ao idoso.

Palavras-chave: Enfermagem Geriátrica. Enfermagem do Trabalho. Saúde do Trabalhador

 

8  - Trabalhadores em saúde mental: contradições e desafios no contexto da reforma psiquiátrica

Leandro Barbosa de Pinho; Antônio Miguel Bañon Hernández; Luciane Prado Kantorski

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 260-267

Resumo Download

Este estudo analisa o discurso de trabalhadores, apontando caminhos, dúvidas e incertezas que rondam a constituição da equipe de um serviço comunitário de saúde mental. O corpus é composto por entrevistas aplicadas no ano de 2006 a 17 dos 25 trabalhadores de saúde mental que trabalham em um serviço substitutivo de uma cidade da Região Sul do Brasil. O dispositivo metodológico que subsidia a sistematização dos dados é o "diagrama axiológico-discursivo", construído a partir dos pressupostos teóricos da Análise Crítica do Discurso. Constata-se que a incerteza operacional que une e fragmenta a equipe, ao mesmo tempo, está relacionada com uma cascata de possibilidades, que se inicia na indefinição operacional dos objetos e instrumentos de trabalho em saúde mental, e termina na dificuldade de identificar quem são os profissionais que devem cuidar da loucura no serviço. Espera-se que este estudo ajude na problematização do movimento de reforma psiquiátrica no contexto brasileiro.

Palavras-chave: Saúde Mental. Reforma dos Serviços de Saúde. Política de Saúde

 

9  - A inserção de Waleska Paixão na enfermagem

Geralda Fortina dos Santos; Valda da Penha Caldeira; Sabrina Antonieta Moreira

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 268-274

Resumo Download

Este estudo apresenta dados históricos biográficos de Waleska Paixão (1903-1993), enfatizando diferentes momentos de sua vida pessoal e profissional. Descreve a sua inserção no campo da Enfermagem, analisando a sua trajetória de aluna, professora e diretora da Escola de Enfermagem Carlos Chagas e destacando as suas contribuições mais significativas na Associação Brasileira de Enfermagem. As fontes primárias fazem parte do acervo documental do Centro de Memória da Escola de Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais e de depoimento oral de Waleska Paixão arquivado na instituição. Os resultados demonstram que a vontade e o desejo de adquirir, produzir, compartilhar e divulgar conhecimentos fazem parte da têmpora de Waleska Paixão, que se fez e foi se constituindo como figura ímpar no ensino e na prática da enfermagem, mostrando o seu envolvimento com o campo da educação e da saúde e algumas de suas contribuições para o desenvolvimento da enfermagem brasileira.

Palavras-chave: História da Enfermagem. Biografia. Escolas de Enfermagem

 

10  - Influência germânica nos primórdios da enfermagem profissional na cidade do Recife, Pernambuco (1924-1927)

Fátima Maria da Silva Abrão; Regina Célia de Oliveira; Natally da Silva Freitas; Niellys de Fátima da Conceição Gonçalves Costa; Vanessa Maria de Brito Sales

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 275-283

Resumo Download

Estudo histórico-social, que teve como objetivo a análise da influência germânica no campo da saúde nos primórdios da enfermagem profissional na cidade do Recife, Pernambuco. Foi feita análise do conteúdo dos documentos à luz do pensamento de Bourdieu. Na interpretação dos dados, a noção de campo e poder foi utilizada de modo a contemplar as forças que contribuem para a formação do campo organizacional da enfermagem. O recorte temporal foi de 1924, com a vinda das enfermeiras alemãs para trabalhar no Hospital do Centenário (HC), até 1927, quando ocorre a saída da enfermeira administradora. Utilizaram-se fontes primárias e secundárias. Como resultado, observa-se que a cultura alemã exerceu forte influência no campo da saúde, comércio, indústria, economia e educação. A influência se dá nos primórdios da enfermagem profissional pelo reconhecimento da atuação das enfermeiras pela dedicação e abnegação aos enfermos no trabalho que desenvolviam.

Palavras-chave: História da Enfermagem. Alemanha. Cuidados de Enfermagem

 

11  - O alojamento de mães de recém-nascidos prematuros: uma contribuição para a ação da enfermagem

Bárbara Bertolossi Marta de Araújo; Benedita Maria Rêgo Deusdará Rodrigues

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 284-292

Resumo Download

O estudo teve o objetivo de apreender o "motivo porquê" de a mãe permanecer na unidade hospitalar durante a internação do filho prematuro na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Foi realizado com 12 mães de recém-nascidos prematuros, em um hospital maternidade municipal do Rio de Janeiro, em 2007. Adotou-se como suporte metodológico a Fenomenologia Sociológica de Alfred Schutz. A Entrevista Fenomenológica foi a técnica utilizada para captar o contexto vivencial das mães na unidade hospitalar, compreendendo que a sua permanência está ligada à ação de cumprir seu papel de ser mãe. A vivência das mulheres é retratada como um processo difícil, triste e conflituoso. Concluímos que as mães atualmente estão presentes, mas não estão inseridas nesta realidade intensiva. Dessa forma, entendemos que é necessário mudar esse paradigma intensivista incorporando o cuidado humanizado, inserindo a mãe e sua família no ambiente neonatal.

Palavras-chave: Mães. Alojamento. Enfermagem Neonatal. Neonatologia. Prematuro

 

12  - Vulnerabilidades socioeconômicas e o cotidiano da assistência de enfermagem pediátrica: relato de enfermeiras

Maria de Lourdes Rodrigues Pedroso; Maria da Graça Corso da Motta

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 293-300

Resumo Download

A equipe de saúde, quando considera as vulnerabilidades em que a criança e sua família estão inseridas, pode planejar e executar um cuidado integral a estas. Este estudo objetivou compreender as percepções dos enfermeiros sobre as influências das vulnerabilidades socioeconômicas no cuidado à criança e sua família, no ambiente de Unidades de Internação Pediátricas de um Hospital Universitário no Município de Porto Alegre. Trata-se de uma pesquisa qualitativa na perspectiva de um estudo exploratório descritivo. A coleta de informações ocorreu com nove participantes por meio de entrevistas individuais semiestruturadas, analisadas conforme referencial da Análise de Conteúdo. Emergiram três categorias de análise, duas das quais serão aqui exploradas: Vulnerabilidades socioeconômicas e o cotidiano da assistência de enfermagem pediátrica; Propostas e alternativas para o manejo das situações de vulnerabilidades socioeconômicas. Os resultados forneceram exemplos práticos e apontaram soluções para as vulnerabilidades socioeconômicas relacionadas com a assistência de enfermagem à criança e sua família.

Palavras-chave: Vulnerabilidade. Enfermagem Pediátrica. Família

 

13  - Incertezas diante do cancer infantil: compreendendo as necessidades da mãe

Margareth Angelo; Patrícia Luciana Moreira; Laura Maria Alves Rodrigues

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 301-308

Resumo Download

Os objetivos deste estudo foram identificar as necessidades da mãe durante a internação do filho com câncer e compreender como as incertezas diante da doença configuram-se nesta experiência. O referencial teórico do estudo foi o Interacionismo Simbólico e o referencial metodológico, o Interacionismo Interpretativo. A coleta de dados foi conduzida por meio de entrevistas semiestruturadas. Participaram do estudo 10 mães de crianças hospitalizadas em uma instituição especializada no município de São Paulo. Foram identificadas três categorias descritivas das necessidades experienciadas pelas mães: (1) Necessidade de estar presente e acompanhar o tratamento; (2) Necessidade de ser amparada nos momentos de fraqueza; (3) Necessidade de manter vínculo com a família. As necessidades da mãe durante a internação da criança com câncer têm caráter multidimensional, e o reconhecimento delas é essencial para garantir a criação de um contexto de cuidado que potencialize o papel da mãe no suporte à criança com câncer.

Palavras-chave: Mães. Criança Hospitalizada. Neoplasias. Incerteza

 

14  - Pediculose nos centros de educação infantil: conhecimentos e práticas dos trabalhadores

Flávia Lopes Gabani; Clarice Martins Lima Maebara; Rosângela Aparecida Pimenta Ferrari

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 309-317

Resumo Download

Este trabalho objetivou identificar e analisar conhecimentos e práticas, acerca da pediculose, dos trabalhadores de Centros de Educação Infantil (CEI) das áreas de abrangência de duas Unidades de Saúde da Família, Londrina, Paraná. Trata-se de estudo descritivo transversal. Foi aplicado formulário com questões sobre mitos, tabus, práticas, dúvidas e dificuldades na interrupção da infestação da pediculose em oito CEI. Posteriormente, realizou-se oficina com materiais educativos. Participaram 60,4% dos funcionários, aqueles que estavam presentes no dia determinado pela instituição. Quase a totalidade referiu infestação pela ectoparasitose, assim como em seus familiares. A problemática é enfrentada cotidianamente nos CEI (72,1%). Práticas adequadas de enfrentamento ainda são limitadas. Muitos mitos e tabus persistem (piolhos pulam, uso de sal, vinagre e querosene, etc.). As principais dúvidas estão relacionadas ao tratamento, e a maior dificuldade é a falta de colaboração dos pais. Ressalta-se, enfim, necessidade e importância de ações intersetoriais, preventivas e sistemáticas, no ambiente escolar.

Palavras-chave: Enfermagem Pediátrica. Piolhos. Creches. Cuidado da Criança

 

15  - Olho vivo: analisando a acuidade visual das crianças e o emprego do lúdico no cuidado de enfermagem

Angélica da Conceição Oliveira Coelho; Daniela de Carvalho Marta; Iêda Maria Ávila Vargas Dias; Marli Salvador; Valesca Nunes dos Reis; Zuleyce Maria Lessa Pacheco

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 318-323

Resumo Download

Trata-se de uma pesquisa quantiqualitativa de delineamento transversal, que teve como objetivo detectar precocemente o déficit visual nas crianças em fase escolar e promover a saúde visual por meio de atividades lúdicas. Os resultados mostraram que das 250 crianças que participaram das atividades lúdicas de promoção da saúde ocular, apenas 143 crianças realizaram o teste de acuidade visual; as demais não trouxeram a autorização dos pais. Das crianças submetidas ao teste de acuidade visual, 13 foram encaminhadas ao reteste, e todas estas foram encaminhadas ao serviço de oftalmologia, pois a dificuldade visual permaneceu como resultado do reteste. Referente à aplicação do lúdico, percebemos que tanto a história quanto os personagens do teatro ficaram explícitos nas falas das crianças. Na conclusão, evidenciamos que a visão desempenha papel fundamental no desenvolvimento físico e psicossocial da criança; por isso, a triagem oftalmológica com diagnóstico precoce de alterações visuais é de extrema importância.

Palavras-chave: Saúde Ocular. Saúde Escolar. Enfermagem

 

16  - Incidência de reinternação de prematuros com muito baixo peso nascidos em um hospital universitário

Letícia Mayumi Hayakawa; Kayna Trombini Schmidt; Edilaine Giovanini Rossetto; Sarah Nancy Deggau Hegeto de Souza; Talita Maria Bengozi

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 324-329

Resumo Download

Este estudo investigou a incidência de reinternação e os fatores associados em prematuros nascidos com muito baixo peso em um hospital universitário. Trata-se de um estudo descritivo, quantitativo com os neonatos menores de 1.500 g que nasceram em 2006 e receberam alta até dezembro do mesmo ano e foram seguidos até os 6 meses de vida. Os dados foram obtidos de fichas de atendimento no seguimento ambulatorial dos prematuros e contato telefônico com as mães. Dos 53 bebês estudados, 30,2% foram reinternados, 7,5% foram a óbito e 56,3% das reinternações foram por afecções respiratórias. Dos reinternados, 68,7% haviam permanecido mais de 60 dias na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal; 68,7% estavam desmamados na reinternação; 37,5% dos reinternados não estavam em acompanhamento ambulatorial, enquanto apenas 19,8% dos que seguiam em acompanhamento foram reinternados. A incidência de reinternação apresentou associação estatística com o município de origem (p=0,007).

Palavras-chave: Readmissão do Paciente. Prematuro. Fatores de Risco

 

17  - Percepção de adolescentes sobre uma ação educativa em orientação sexual realizada por acadêmicos(as) de enfermagem

Adriana Dora da Fonseca; Vera Lúcia de Oliveira Gomes; Karina Correa Teixeira

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 330-337

Resumo Download

Trata-se de um estudo descritivo-exploratório, com abordagem qualitativa, que objetivou conhecer a percepção de adolescentes acerca das ações de orientação sexual realizadas em uma escola pública do interior do Rio Grande do Sul e identificar fragilidades e potencialidades das ações. Foram informantes 15 estudantes do ensino médio, com idade entre 15 e 17 anos. Os dados foram coletados em agosto de 2008 por meio de entrevistas e tratados pela análise de conteúdo temática. Foi possível identificar que os adolescentes aprovaram esse tipo de trabalho, e a maioria relatou a importância para a sua vida, principalmente devido à ausência de dialogo com a família. Identificaram-se potencialidades do projeto, como o uso de metodologia participativa, que é capaz de promover um clima de trabalho acolhedor e produtivo, proporcionando maior envolvimento e aprendizado.

Palavras-chave: Adolescente. Sexualidade. Educação Sexual

 

18  - Parto prematuro de adolescentes: influência de fatores sociodemográficos e reprodutivos, Espírito Santo, 2007

Priscilla Rocha Araújo Nader; Lis Alborghetti Cosme

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 338-345

Resumo Download

A gravidez na adolescência é um problema de saúde pública, podendo trazer consequências negativas para a adolescente, sua família e para o concepto/recém-nascido.
OBJETIVOS: Identificar diferenças entre as características sociodemográficas e reprodutivas das mães adolescentes com parto a termo e com parto pré-termo, no Espírito Santo em 2007.
METODOLOGIA: Estudo retrospectivo quantitativo. Os dados foram coletados no Sistema de Informação de Nascidos Vivos, sendo realizada análise descritiva de 9.841 Declarações de Nascidos Vivos. A relação entre a variável dependente (termo) e fatores foi testada pelo teste exato de Fisher, com á=0,05. Os resultados evidenciaram que as diferenças nas características das mães adolescentes com parto a termo e pré-termo ocorreram nas seguintes variáveis: idade entre 10 a 14 anos (p=0,016), estado civil casada (p=0,014), número de consultas pré-natais quando insuficientes (p=0,000) e gestação dupla (p=0,000). Houve maior incidência de partos prematuros no Sistema Único de Saúde (p=0,000).

Palavras-chave: Gravidez. Adolescente. Trabalho de Parto Prematuro

 

19  - Equipes e condições de trabalho nos centros de atenção psicossocial em Mato Grosso

Larissa de Almeida Rézio; Alice Guimarães Bottaro de Oliveira

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 346-354

Resumo Download

As condições de trabalho das equipes dos CAPS incidem na realização da atenção psicossocial, que pressupõe territorialidade, responsabilidade e vínculo terapêutico.
OBJETIVO: caracterizamos as equipes e analisamos alguns condicionantes organizacionais e psicossociais para o desenvolvimento do trabalho nos CAPS I de dois municípios de Mato Grosso. Foi realizado um estudo descritivo e qualitativo em 2008, por meio de observação e entrevistas com 46 sujeitos (trabalhadores, gestores e usuários/familiares). A análise considerou a historicidade dos fenômenos sociais e o trabalho como categoria analítica. Os dados apontaram descontentamento dos trabalhadores e dos usuários relativo às condições de trabalho e atendimento, respectivamente. Entre os 18 profissionais de nível superior, quatro se especializaram ou estavam realizando especialização na área de saúde mental. Concluímos que neste contexto há pouca possibilidade de o trabalhador se perceber sujeito de seu trabalho e, consequentemente, ampliar a autonomia e reinserção social do usuário.

Palavras-chave: Trabalho. Saúde Mental. Serviços de Saúde Mental

 

20  - O preparo de enfermeiros que atuam em grupos na área de saúde mental e psiquiatria

Luciene Simões Spadini; Maria Conceição Bernardo de Mello e Souza

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 355-360

Resumo Download

INTRODUÇÃO: o trabalho em grupo tem sido enfatizado na possibilidade de promover a reabilitação psicossocial das pessoas com transtornos psíquicos. Objetivo: identificar como ocorre a formação do enfermeiro em grupos na área de Psiquiatria e Saúde Mental.
MÉTODOS: estudo qualitativo do tipo descritivo exploratório. Foram 26 enfermeiros os participantes dessa pesquisa, todos da rede de serviços de psiquiatria e saúde mental. Os dados foram coletados por meio de entrevista individual, seguindo roteiro com questões norteadoras. Para análise dos dados utilizou-se a ordenação e classificação dos dados e análise final.
RESULTADOS E DISCUSSÃO: as análises indicaram que o enfermeiro se desenvolve para atuar em grupos de forma mais vivencial, alguns fazem cursos extracurriculares e outros, leituras específicas. Considerações finais: há a necessidade de maior investimento durante a formação do enfermeiro durante a graduação em relação à coordenação de grupos, o que não difere dos dados encontrados na literatura a esse respeito.

Palavras-chave: Saúde Mental. Enfermagem. Educação em Saúde

 

21  - Aderência de diabéticos ao tratamento medicamentoso com hipoglicemiantes orais

Márcio Flávio Moura de Araújo; Ticiana da Cunha Gonçalves; Marta Maria Coelho Damasceno; Joselany Áfio Caetano

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 361-367

Resumo Download

Objetivou-se identificar a adesão de diabéticos de Sobral CE ao tratamento farmacológico com hipoglicemiantes orais. Investigaram-se 79 diabéticos de seis unidades básicas de saúde de Sobral CE mediante visitas domiciliárias durante o período de março a junho de 2007. Para coleta de dados utilizou-se um formulário estruturado e a aplicação do Teste de Morisky e Green adaptado. Um pouco mais da metade dos estudados, 54,5%, referiu não ter o cuidado de cumprir o horário de ingestão dos fármacos preestabelecido; a maioria não se esquece de tomar a medicação (66%). Ademais, 90% dos investigados apresentam sentimento de pesar ao deixar de tomar os hipoglicemiantes orais. Identificou-se que 54,4% e 45,5% eram menos aderentes e mais aderentes à terapia medicamentosa com hipoglicemiantes orais, respectivamente. A adesão à terapia farmacológica com hipoglicemiantes orais é fundamental para um bom controle glicêmico e a prevenção de complicações micro e macrovasculares.

Palavras-chave: Diabetes melito. Cooperação do Paciente. Hipoglicêmicos

 

22  - Formação do Enfermeiro: desafios para a promoção da saúde

Kênia Lara Silva; Roseni Rosângela de Sena; Maria José Cabral Grillo; Natália de Cássia Horta

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 368-376

Resumo Download

Estudo qualitativo, descritivo-exploratório, realizado em dois cursos de Enfermagem com o objetivo de analisar os referenciais de promoção da saúde na formação do enfermeiro. Foram entrevistados 19 coordenadores, docentes, estudantes e profissionais de serviços envolvidos na formação do enfermeiro. Os resultados indicam imprecisão conceitual entre promoção da saúde e prevenção de agravos na formação do enfermeiro. As concepções de promoção da saúde reveladas estão associadas a práticas que incidem sobre qualidade de vida sustentada em um conceito amplo e complexo de saúde e que são incipientes nos cenários da atenção à saúde. Conclui-se que a promoção da saúde é tomada como decisão política para mudança na formação do enfermeiro, explicitada nos projetos pedagógicos das instituições cenário do estudo. Entretanto, esta incorporação é incipiente e heterogênea quanto à formulação teórica, indicando a necessidade de ampliação dos espaços de análise conceitual nas relações que proporcionam a produção de saúde e do processo formativo.

Palavras-chave: Educação em Enfermagem. Currículo. Promoção da Saúde

 

23  - Práticas alimentares e sua relação com as intercorrências clínicas de crianças de zero a seis meses

Lorena Barbosa Ximenes; Juliane Girão de Moura; Mônica Oliveira Batista Oriá; Mariana Cavalcante Martins; Paulo Cesar de Almeida; Elioneide Paulo Carneiro

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 377-385

Resumo Download

Este estudo foi desenvolvido para identificar os principais agravos de saúde em crianças de zero a seis meses de vida e verificar a relação entre os agravos de saúde e as práticas alimentares mais frequentes. Foram analisadas informações de 36 crianças, identificadas primeiramente na faixa etária de zero a dois meses e acompanhadas até seis meses em uma Unidade de Cuidado de Enfermagem do Centro de Desenvolvimento Familiar (CEDEFAM) em 134 encontros, por meio de formulário estruturado. Houve predomínio de 24 (18%) crianças na faixa etária entre um e dois meses, sendo que 15 (11,2) dessas se encontravam em AME (aleitamento materno exclusivo). Quanto aos agravos relacionados aos lactentes em AME, houve 75 ocorrências (40,5%), sendo 33 (17,8%) problemas respiratórios, 38 (20,5%) problemas dermatológicos e 4 (2,2%) problemas gastrointestinais. Portanto, as crianças, principalmente as menores de seis meses de idade, fazem parte de um grupo mais vulnerável, e o leite materno pode reduzir a morbimortalidade infantil.

Palavras-chave: Hábitos Alimentares. Saúde da Criança. Cuidados de Enfermagem

 

REFLEXÃO

24  - Desafios à pesquisa em enfermagem

Lygia Paim; Mercedes Trentini; Denise Guerreiro V. da Silva; Arlete Arlinda Jochen

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 386-390

Resumo Download

O artigo objetiva refletir acerca dos desafios da pesquisa inerentes às lacunas entre a teoria e a prática na área de enfermagem. Um olhar retrospectivo mostrou que a pesquisa em enfermagem continua sendo desenvolvida prioritariamente pelo Corpo Docente e Discente dos cursos de Pós-Graduação e que, na sua maioria, estas pesquisas têm produzido conhecimento teórico sem que se investigue o impacto na prática profissional. A não transportabilidade da produção do conhecimento teórico para os campos de atuação da prática de enfermagem requer o desenvolvimento de projetos de pesquisa focados na construção de tecnologias, estratégias e protocolos apropriados à incorporação de achados em investigações acumulados. Essa iniciativa de aplicabilidade significa que estes projetos requerem a inclusão dos saberes da prática.

Palavras-chave: Pesquisa em Enfermagem. Conhecimento. Prática Profissional

 

RELATO DE EXPERIÊNCIA

25  - Oficinas terapêuticas para hábitos de vida saudável: um relato de experiência

Amanda Nathale Soares; Amanda Márcia dos Santos Reinaldo

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 391-398

Resumo Download

As oficinas delineiam um percurso intrínseco ao desenvolvimento paradigmático acerca da loucura, situando-se no rol das tecnologias de cuidados sob distintas perspectivas no progresso histórico-cronológico. Trata-se de um relato de experiência decorrente do projeto de extensão denominado "Oficinas terapêuticas para hábitos de vida saudável no Centro de Convivência Arthur Bispo do Rosário". Tem como objetivo subsidiar uma reflexão teórico-crítica acerca da aproximação principiológica e prática entre oficinas terapêuticas e educação em saúde, segundo as tendências contemporâneas que regem ambas. Observa-se que a contemplação dessas perspectivas permite a percepção das singularidades e histórias de vida dos portadores de transtorno mental. O desenvolvimento das oficinas reafirmou a relevância, a essencialidade e a eficácia dessa metodologia na abordagem aos portadores de transtorno mental. Denota-se que um espaço dialógico, construído entre a discente e os usuários, possibilita a essa o desenvolvimento crítico-reflexivo e a estes a crescente expressão de particularidades.

Palavras-chave: Saúde Mental. Serviços de Saúde Mental. Educação em Saúde. Enfermagem

 

26  - A cartografia na enfermagem: uma proposta de abordagem metodológica

Paula Regina Virginio Moraes de Catrib; Isabel Cristina dos Santos Oliveira

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2010;14(2): 399-405

Resumo Download

Trata-se de um relato de experiência que tem por objetivo descrever a aplicação da cartografia na coleta de dados de uma tese de doutorado, cujo objeto de estudo trata das estratégias da equipe de enfermagem para a criança hospitalizada com doenças infecciosas e parasitárias. O texto aborda a técnica da geografia-cartografia e sua utilização nos estudos de enfermagem, e também sua aplicação. Essa técnica possibilita a construção de um saber, caracterizando os sistemas de ações que dão movimento e que mapeiam o espaço. Ela propicia uma leitura sobre o quadro das práticas e das realidades, e também o entendimento das especialidades, revelando-se em um processo com significado para uma leitura social do mundo. A realização de pesquisas de enfermagem que utilizam a cartografia ainda é muito escassa; porém, acredita-se que a cartografia possa colaborar para a construção de um saber, caracterizando os sistemas de ações que dão movimento e que mapeiam o espaço.

Palavras-chave: Cartografia. Pesquisa Qualitativa. Enfermagem. Criança Hospitalizada

 

© Copyright 2017 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1