ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

Notícias

Informação 1

A Escola Anna Nery Revista de Enfermagem está filiada ao Committee on Publication on Ethics (COPE)

Informação 3

Taxas de Publicação e Tradução de Artigos
Mais Notícias

Volume 15 , Número 2 , Abr/Jun - 2011

EDITORIAL

1  - O papel estratégico do corpo docente no programa de pós-graduação

Adriana Cristina de Oliveira; Márcia de Assunção Ferreira

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 227-229

Download

 

FAC-SÍMILE

2  - Valor sociológico no cuidado integral do paciente em contraste com o cuidado funcional

Tânia Cristina Franco Santos

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 230-231

Download

 

PESQUISA

3  - Vigilância em saúde na enfermagem: o caso das medicações sem prescrição em crianças

Renata Araújo de Medeiros; Vioska Gomes Pereira; Soraya Maria de Medeiros

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 233-237

Resumo Download

A automedicação é um hábito comum em nosso país e sempre foi um assunto muito discutido e controverso. Muitas mães recorrem à prática de medicar por conta própria suas crianças quando estas apresentam algum sintoma decorrente ou não de alguma patologia. Esta pesquisa teve como objetivo descrever os motivos que levaram as mães a administrarem medicações sem prescrição profissional a seus filhos. Foram entrevistadas 20 mães de crianças menores de 10 anos cadastradas no programa de Crescimento e Desenvolvimento da Unidade de Saúde da Família do município de Passagem, interior do Rio Grande do Norte. Entre as 20 mães entrevistadas, 30% automedicaram seus filhos com antipirético, 50% automedicaram devido à febre, 43% foram motivadas pela experiência anterior e 90% não relataram efeitos adversos. A automedicação na população infantil reforça a necessidade de um melhor esclarecimento às mães sobre os riscos da automedicação.

Palavras-chave: Automedicação. Criança. Mães. Enfermagem

 

4  - Obesidade infantil ontem e hoje: importância da avaliação antropométrica pelo enfermeiro

Leila Maria Marchi-Alves; Cíntia Megumi Yagui; Cíntia Simões Rodrigues; Alessandra Mazzo; Elaine Maria Leite Rangel; Fernanda Berchelli Girão

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 238-244

Resumo Download

Estudos comprovam que a incidência de doenças crônicas em adultos está diretamente relacionada à obesidade na infância. Esta investigação teve como objetivo determinar a classificação nutricional infantil e comparar os índices de sobrepeso e obesidade de crianças atendidas em uma Unidade de Saúde de um município do interior paulista nos anos de 1983/1984 e 2003/2004. Os dados relacionados ao crescimento e desenvolvimento infantil foram obtidos dos prontuários. Para classificação do estado nutricional foi adotado o percentil. Para a análise descritiva, foram consideradas as frequências absolutas e percentuais. Os dados foram analisados utilizando-se teste t para comparações das médias. Foi observado maior risco de sobrepeso e diferença significativa no peso de crianças nascidas nos anos de 2003/2004 comparado aos nascidos em 1983/1984. A avaliação antropométrica realizada pelo enfermeiro é de fundamental importância no diagnóstico nutricional infantil para a identificação acurada das anormalidades e definição de estratégias de atuação eficazes.

Palavras-chave: Obesidade. Antropometria. Enfermagem

 

5  - A influência da família na vivência da sexualidade de mulheres adolescentes

Lúcia Beatriz Ressel; Carolina Frescura Junges; Graciela Dutra Sehnem; Cheila Sanfelice

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 245-250

Resumo Download

O objetivo deste trabalho consistiu em identificar a influência da família na vivência da sexualidade de mulheres adolescentes. Trata-se de uma pesquisa de campo, descritiva, com abordagem qualitativa cuja coleta de dados deu-se por meio de entrevista semiestruturada. As participantes da pesquisa foram 18 mulheres adolescentes. Aplicou-se a análise temática para a interpretação e a categorização dos dados. Os resultados apontaram para as seguintes categorias: 'sexo sem imprevistos: os pais falam sobre a prevenção'; 'a repressão da sexualidade: entre normas instituídas e acordos invisíveis'; e 'tornar-se mulher: os discursos disciplinadores sob o enfoque de gênero'. Verificou-se a necessidade de vislumbrar a atenção à saúde da mulher adolescente de maneira integral, enfocando os significados sociais e culturais atribuídos à sexualidade. Dessa forma, as atividades desenvolvidas pelos profissionais de saúde com mulheres adolescentes devem envolver a família, instituição promotora da singularização do indivíduo na sociedade.

Palavras-chave: Sexualidade. Adolescente. Família. Saúde da Mulher. Enfermagem

 

6  - Perfil das condições de seguimento terapêutico em portadores de hipertensão arterial

Allyne Fortes Vitor; Flávia Paula Magalhães Monteiro; Huana Carolina Cândido Morais; João Dennys Pinheiro Vasconcelos; Marcos Venícios de Oliveira Lopes; Thelma Leite de Araujo

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 251-260

Resumo Download

A proposta foi investigar os aspectos comportamentais referentes ao seguimento da terapêutica farmacológica e não farmacológica e o grau de adesão ao tratamento anti-hipertensivo de um grupo específico. Estudo observacional descritivo com análise quantitativa, realizado no Centro de Referência da Assistência Social em Fortaleza-CE, de agosto/2008 a maio/2009. Dados obtidos de 49 indivíduos por entrevista e exame físico. Mais de 50% dos participantes seguiam as terapêuticas não farmacológicas. Prevaleceram a terapia combinada (53%) e as classes medicamentosas de diuréticos (72%) e inibidores da enzima conversora de angiotensina (55%). Muitos participantes (49%) referiram reações adversas. Destas, as mais citadas foram poliúria e tontura (29%). Quanto ao grau de adesão, a média correspondeu ao conceito não adesão leve. A avaliação dos comportamentos de seguimento terapêutico e a caracterização clínico-epidemiológica são necessárias para o enfermeiro planejar estratégias educativas. Ambas possibilitam ajustes no planejamento das intervenções, contribuindo para a melhor adesão terapêutica dos indivíduos.

Palavras-chave: Enfermagem. Hipertensão. Cooperação do Paciente

 

7  - A visão da adolescente com reincidência gestacional sobre família

Tatiane Baratieri; Viviane Cazetta de Lima Vieira; Sonia Silva Marcon

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 261-269

Resumo Download

O estudo objetivou conhecer a concepção das adolescentes com reincidência gestacional sobre família. Participaram da pesquisa 16 adolescentes grávidas dos municípios de Sarandi (oito), Mandaguari (seis) e Jandaia do Sul (duas) no Estado do Paraná. Trata-se de um estudo descritivo-exploratório com abordagem qualitativa. A coleta dos dados ocorreu em maio de 2009, por meio de entrevista semiestruturada gravada, realizada na própria unidade de saúde de cada cidade. Os dados foram analisados por meio da análise de conteúdo. Os resultados apontam para duas categorias: a adolescente e sua compreensão sobre família; e concepções sobre o tamanho da família: entre a prática e a pretensão. Conclui-se que as adolescentes veem família como sinônimo de laços afetivos, apontando questões financeiras como principal fator influenciador na determinação do tamanho da família. Elas almejam uma família nuclear, com poucos filhos, pressupondo-se a necessidade de planejamento e responsabilidade, porém demonstraram iniciar suas famílias sem planejar.

Palavras-chave: Gravidez na Adolescência. Recidiva. Família

 

8  - Trabalho noturno e a repercussão na saúde dos enfermeiros

Rosângela Marion da Silva; Carmem Lúcia Colomé Beck; Tânia Solange Bosi de Souza Magnago; Maria Isabel Sampaio Carmagnani; Juliana Petri Tavares; Francine Cassol Prestes

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 270-276

Resumo Download

O trabalho de enfermagem é organizado em turnos para prestar cuidado ininterrupto e atender a demanda da população por serviços de saúde. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória, realizada no período de março de 2008 no Hospital Universitário de Santa Maria/RS, Brasil. O objetivo é apresentar e discutir as alterações na saúde percebidas por enfermeiros do período noturno. Os participantes foram 42 enfermeiros submetidos a entrevista cujos dados foram analisados segundo a análise temática. Os resultados evidenciaram que 27 enfermeiros percebem alterações na saúde como a má qualidade no sono/repouso, o cansaço/desgaste, entre outras. Por outro lado, há a conveniência de trabalhar no período noturno para continuar os estudos ou a possibilidade de conciliar o segundo emprego. Pôde-se concluir que é necessário uma compreensão do trabalhador sobre os limites do seu corpo para que a realização da atividade não interfira no processo saúde-doença e não comprometa a assistência prestada.

Palavras-chave: Trabalho Noturno. Saúde do Trabalhador. Tolerância ao Trabalho Programado. Enfermagem

 

9  - Implementação de medidas para o alívio da dor em neonatos pela equipe de enfermagem

Roberta Meneses Oliveira; Ana Valeska Siebra e Silva; Lucilane Maria Sales da Silva; Ana Paula Almeida Dias da Silva; Edna Maria Camelo Chaves; Samara Cavalcante Bezerra

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 277-283

Resumo Download

Estudo transversal com abordagem quantitativa, que objetivou identificar a implementação de medidas para o alívio da dor em neonatos pelos profissionais de Enfermagem, bem como caracterizá-las em tipo, frequência e finalidade da aplicação. Desenvolvido entre agosto e outubro de 2007 em quatro hospitais de referência no atendimento neonatal em Fortaleza-Ceará. Um formulário foi aplicado em 180 profissionais. Os dados foram analisados com estatística descritiva simples e apresentados em tabelas. A maioria dos profissionais (98,8%) afirmou implementar medidas para minimizar a dor do neonato, destacando-se: Chupeta de gaze com glicose (43,3%); Acalento (23,3%); Pacotinho (19,4%). Quanto às justificativas, a maioria (85%) relatou que executa tais medidas para acalmar/aliviar o sofrimento do bebê. Em conclusão, as entrevistadas demonstraram conhecer o efeito benéfico da glicose para o neonato e implementar estratégias que, aplicadas em conjunto antes dos procedimentos dolorosos, proporcionam alívio e tranquilidade para o bebê.

Palavras-chave: Dor. Analgesia. Recém-nascido. Enfermagem Neonatal. Cuidados Intensivos

 

10  - Conhecimento e utilização da Contracepção de Emergência por acadêmicos de enfermagem

Eléia Marina Lemos Bataglião; Fabiana Villela Mamede

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 284-290

Resumo Download

O uso de métodos contraceptivos está aumentando, e juntamente com eles o uso da Contracepção de Emergência (CE). Este estudo pretende descrever o conhecimento e a utilização da CE por estudantes. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de caráter quantitativo, da qual fizeram parte os estudantes de enfermagem. A amostra foi de 327 alunos, média de idade de 21 anos, maioria do sexo feminino. Apenas 17,70% mostraram conhecimento da ação da pílula; 20,80% referiram já terem feito uso, e o principal motivo foi a falha no preservativo (38,23%). O uso correto da CE é válido, porém há a necessidade de ampliação do conhecimento. Com orientação consistente, mulheres podem fazer uso da CE nos casos indicados sem deixar de lado o uso regular de anticoncepcionais e a proteção contra DST/AIDS.

Palavras-chave: Planejamento Familiar. Contracepção. Anticoncepcionais Orais

 

11  - "Grupo" de artesanato: espaço favorável à promoção da saúde mental

Márcia Glaciela da Cruz Scardoelli; Maria Angélica Pagliarini Waidman

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 291-299

Resumo Download

Estudo descritivo de abordagem qualitativa, realizado em um grupo de artesanato de uma Unidade Básica de Saúde do município de Maringá - PR, no período de março a agosto de 2009. Objetivou-se compreender os motivos de inserção de mulheres no grupo de artesanato. Para coleta de dados utilizaram-se a observação participante e entrevista aberta. Os sujeitos do estudo foram 11 mulheres. Os dados foram analisados segundo a técnica de análise de conteúdo, de onde emergiram três categorias: Propiciando a promoção da saúde mental; Encontrando um espaço que promove a fala, a escuta e a partilha e; Buscando um espaço de ensino/aprendizado. Observamos que participar do grupo vem contribuindo para melhoria da qualidade de vida destas mulheres que se encontravam em situação de sofrimento emocional, oferecendo condições favoráveis ao desenvolvimento do ponto de vista psicossocial.

Palavras-chave: Saúde Mental. Enfermagem. Grupos de Apoio. Estrutura de Grupo. Atenção Básica

 

12  - Representações sociais de adolescentes mães acerca do momento do parto

Vera Lúcia de Oliveira Gomes; Adriana Dora da Fonseca; Evelyn de Castro Roballo

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 300-305

Resumo Download

Objetivou-se, neste estudo exploratório-descritivo, compreender as Representações Sociais de adolescentes mães, acerca do parto. Coletaram-se os dados no segundo semestre de 2007 por meio de entrevistas com sete adolescentes primigestas e primíparas, com idade entre 15 e 18 anos, internadas em maternidade no sul do país. A análise temática foi utilizada para tratamento dos dados, delineando-se duas categorias "expectativas" e "vivências" da parturição. As expectativas foram observadas de forma dicotômica, umas temerosas pela dor, outras confiantes. As vivências foram permeadas pela sensação de solidão e constrangimento. Compreender o momento do parto pela perspectiva das adolescentes é fundamental para que o(a) enfermeiro(a) planeje e execute uma adequada assistência, reduzindo o impacto das representações negativas associadas ao parto. Essa modalidade de cuidar requer uma equipe capacitada e sensível às especificidades das adolescentes, para proporcionar-lhes um parto humanizado, por meio da adoção incondicional de princípios éticos, humanísticos e da garantia dos direitos legais.

Palavras-chave: Parto. Gravidez na Adolescência. Enfermagem. Pesquisa Qualitativa

 

13  - Humanização e desumanização: a dialética expressa no discurso de docentes de enfermagem sobre o cuidado

Fernanda Duarte da Silva; Isis de Moraes Chernicharo; Márcia de Assunção Ferreira

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 306-313

Resumo Download

O objeto desta pesquisa é a humanização e sua expressão no cuidado de enfermagem, à luz dos discursos dos docentes. Os objetivos são: identificar os elementos que constituem o discurso de docentes de enfermagem sobre a humanização no cuidado, caracterizá-la e analisá-la à luz dos preceitos da Política Nacional de Humanização. Trata-se de uma Pesquisa qualitativa e descritiva realizada com 24 professores de Enfermagem. Evidenciaram-se nos discursos sobre a humanização no cuidado elementos como: a ética, a tecnologia, as instituições e as pessoas. A humanização, segundo os docentes, caracteriza-se por práticas de interação, comunicação e dialogicidade. Porém, nem toda prática profissional de enfermagem se caracteriza segundo os preceitos da humanização. Conclui-se que seja necessário investir sobre o tema humanização no cuidado, principalmente no campo do ensino e da formação profissional, visto a importância que o mesmo ocupa na esfera da política pública, economia, cultura, ética e da formação profissional.

Palavras-chave: Humanização da Assistência. Cuidados de Enfermagem. Docentes de Enfermagem

 

14  - Alimentação do bebê de baixo peso no domicílio: enfrentamentos da família e desafios para a enfermagem

Sandra Teixeira de Araújo Pacheco; Ivone Evangelista Cabral

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 314-322

Resumo Download

Bebês de baixo peso ao nascer apresentam demandas de cuidados na alimentação decorrentes das exigências metabólicas no primeiro ano de vida, desafiando as famílias no confronto entre as recomendações dos profissionais e as práticas culturais. Para desvelar e articular a prática sociocultural dos familiares na alimentação deste bebê, aplicou-se o método criativo-sensível, no domicílio de seis famílias, no período de abril de 2008 a março de 2009. Segundo a análise crítica do discurso, as famílias desvelaram os contextos hospitalar, domiciliar e societal de alimentação do bebê, ideologicamente articulados com a prática social. Enquanto a ordem do discurso hospitalar favoreceu o aleitamento materno exclusivo, as ordens local e societal desvelaram as práticas culturais da amamentação e alimentação, articuladas ou não com discurso profissional. O discurso dos profissionais de saúde influenciou o início da amamentação exclusiva, mas pouco contribuiu na sua manutenção. A inclusão da família nas intervenções contribui para a produção de novos sentidos na alimentação deste bebê.

Palavras-chave: Enfermagem Pediátrica. Aleitamento Materno. Recém-nascido de Baixo Peso. Família. Cultura

 

15  - Percepção de adolescentes infratoras submetidas à ação socioeducativa sobre assistência à saúde

Estela Maria Leite Meirelles Monteiro; Carlos Alberto Domingues do Nascimento; Antonio José de Almeida Filho; Ana Karina de Andrade Araújo; Dannilo Rafael Bezerra do Carmo; Islan Moisalye Barbosa Gomes

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 323-330

Resumo Download

O estudo tem como objetivos conhecer a percepção de adolescentes infratoras submetidas à ação socioeducativa sobre assistência à saúde prestada; identificar a percepção das adolescentes quanto aos fatores que contribuíram para o seu processo de institucionalização; levantar a percepção delas sobre sua saúde física e emocional e conhecer as expectativas dessas adolescentes em relação ao seu futuro. Pesquisa qualitativa de caráter descritivo, que utilizou a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) para apresentação dos resultados. As adolescentes institucionalizadas são capazes de relatar os cuidados de saúde disponibilizados, ao mesmo tempo que denunciam a necessidade de continuidade desses cuidados, com ênfase nas ações de educação em saúde. A importância da inserção do enfermeiro é evidenciada pelo planejamento de ações em saúde que atendam às reais necessidades desse grupo etário, atuando na promoção da saúde e propiciando ações de empoderamento no exercício de uma cidadania solidária.

Palavras-chave: Adolescente Institucionalizado. Promoção da Saúde. Assistência à Saúde. Comunidades Vulneráveis. Enfermagem

 

16  - Primeiras dissertações do curso de mestrado da escola de enfermagem Anna Nery (1972-1975)

Carolina Ribeiro Machado; Ieda de Alencar Barreira; Ana Lia Trindade Martins

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 331-338

Resumo Download

Estudo histórico-social que tem como objeto as condições de produção das primeiras dissertações do Curso de Mestrado da Escola de Enfermagem Anna Nery, elaboradas no período 1972-1975.
OBJETIVOS: descrever as características iniciais do Curso de Mestrado da EEAN; analisar o perfil das autoras das primeiras dissertações desse Curso e de suas orientadoras; e discutir a inserção dessas dissertações nas áreas e linhas de pesquisa em enfermagem. Foi realizada análise documental e foram organizados quadros para apresentação dos resultados.
RESULTADOS: nove das doze alunas de tempo integral da turma pioneira apresentaram suas dissertações antes do prazo regulamentar de quatro anos. Embora oito das mestrandas fossem docentes, cerca de 90% de suas dissertações inserem-se na Área Assistencial, foco de interesse de sua prática de ensino. O mestrado da EEAN qualificou profissionais para lecionar nos cursos superiores de enfermagem. As nove primeiras dissertações nele produzidas constituíram importante contribuição para a produção científica de enfermagem.

Palavras-chave: História da Enfermagem. Pesquisa em Enfermagem. Educação de Pós-Graduação em Enfermagem. Brasil

 

17  - Oficinas terapêuticas como instrumento de reabilitação psicossocial: percepção de familiares

Dulcian Medeiros de Azevedo; Francisco Arnoldo Nunes de Miranda

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 339-345

Resumo Download

As oficinas terapêuticas permitem a possibilidade de projeção de conflitos internos/externos por meio de atividades artísticas, com a valorização do potencial criativo, imaginativo e expressivo do usuário. Objetivou-se identificar a percepção dos familiares sobre as oficinas terapêuticas desenvolvidas. Pesquisa descritiva, com delineamento qualitativo, desenvolvida nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) de Natal-RN, entre agosto e setembro de 2007. Foram entrevistados 28 familiares que participavam regularmente dos serviços. Os familiares destacaram o impacto positivo dos CAPS em suas trajetórias de tratamento e de vida, na melhoria da harmonia familiar. Sobre as oficinas terapêuticas, identificaram falhas e contradições, denunciando e apontando caminhos de superação. Percebem os espaços de participação nos CAPS como formas importantes de acompanhamento do seu familiar usuário, além do crescimento mútuo. As oficinas terapêuticas representam um instrumento importante de ressocialização e inserção individual em grupos, na medida em que propõem o trabalho, o agir e o pensar coletivos, conferidos por uma lógica inerente ao paradigma psicossocial.

Palavras-chave: Terapia pela Arte. Serviços de Saúde Mental. Família. Enfermagem Psiquiátrica. Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias

 

18  - Brinquedo terapêutico no preparo da criança para punção venosa ambulatorial: percepção dos pais e acompanhantes

Caroline Monteiro Conceição; Circéa Amalia Ribeiro; Regina Issuzu Hirooka de Borba; Conceição Vieira da Silva Ohara; Paula Rosenberg de Andrade

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 346-353

Resumo Download

Estudo descritivo qualitativo com o objetivo de compreender a percepção de pais e acompanhantes sobre o emprego do Brinquedo Terapêutico no preparo da criança para a punção venosa ambulatorial, realizado em um ambulatório da cidade de São Paulo. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas realizadas com oito pais ou acompanhantes de crianças preparadas para a punção venosa com o Brinquedo Terapêutico e, após, submetidos à análise qualitativa de conteúdo. Os resultados evidenciaram que eles aprovam essa estratégia de preparo e acreditam que esta favorece o conhecimento sobre o procedimento, diminui o medo, acalma e promove a segurança deles e da criança, além de constituir-se em um atendimento de enfermagem humanizado e de qualidade à criança e família. Reitera-se a importância da implementação do Brinquedo Terapêutico na assistência à criança em ambulatórios e unidades básicas de saúde.

Palavras-chave: Jogos e Brinquedos. Procedimentos Clínicos. Assistência Ambulatorial. Enfermagem Pediátrica

 

19  - A representação social de familiares nos centros de atenção psicossocial

Dulcian Medeiros de Azevedo; Francisco Arnoldo Nunes de Miranda

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 354-360

Resumo Download

Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) estão previstos como as portas de entrada e regulação em saúde mental, e foram criados na intenção de substituir as internações nos manicômios pelo atendimento aberto na comunidade. Objetivou-se apreender as representações sociais dos familiares de usuários dos CAPS do Município de Natal-RN, a respeito de sua participação nas atividades desses serviços. Pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, desenvolvida com 28 familiares por meio de entrevista semiestruturada, entre agosto e setembro de 2007. Os dados obtidos receberam o suporte informacional do software ALCESTE. Os familiares estruturam sua representação social em face de uma necessidade e esperança por mudanças no tratamento de saúde de seus familiares, cristalizadas pela tomada de posicionamento e comportamento, amparados na presença do espaço ambiental dos CAPS. A participação familiar ainda não reúne, nos cenários investigados, condições para promover a inserção do familiar, pois a presença física constatada ainda não é o bastante.

Palavras-chave: Psicologia Social. Serviços de Saúde Mental. Família. Enfermagem Psiquiátrica. Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias

 

20  - Gestação na adolescência: a construção do processo Saúde-Resiliência

Patricia Mônica Ribeiro; Dulce Maria Rosa Gualda

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 361-371

Resumo Download

Trata-se de um estudo etnográfico que tem como objetivo compreender a vivência das adolescentes durante a gestação e no processo de nascimento do seu filho. O método utilizado para a coleta de dados foram entrevistas semiestruturadas e observação participante. Na coleta de dados foram realizadas notas de campo. As entrevistas foram transcritas, transcriadas na forma de narrativas, identificando os tons vitais. A construção das narrativas derivou na organização das categorias empíricas a partir da leitura cuidadosa dos dados, o que resultou na elaboração de três temas. O processo saúde-resiliência ficou caracterizado a partir do entrelaçamento dos temas revelados, ou seja, o suporte social oferecido à adolescente consegue favorecer as mudanças necessárias para o pleno desenvolvimento pessoal da gestante, a qual se torna mãe adolescente responsável, cuidadosa, livre para tomar decisões e consciente de seu papel na sociedade.

Palavras-chave: Adolescência. Gestação. Enfermagem

 

21  - Ser idoso e o processo do envelhecimento: saúde percebida

Juliana Araújo Dias; Cristina Arreguy-Sena; Paulo Ferreira Pinto; Luciene Carnevale de Souza

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 372-379

Resumo Download

Pesquisa qualitativa tipo survey realizada em Rio Novo-Minas Gerais que objetivou analisar a concepção dos idosos sobre envelhecimento e suas percepções de serem/estarem idosos. Amostra por tipicidade composta por 20 voluntários com 60 ou mais anos, cadastrados no Programa de Vacinação do Município. Excluíram-se pessoas com: alteração de consciência; dissociações moderadas do pensamento; dificuldade para verbalização; e moradores rurais. Identificaram-se 385 crenças, segundo Rokeach, que tenderam em 76,3% à centralidade. Duas concepções de envelhecimento foram identificadas (nova oportunidade na vida e deterioração corporal, da autonomia e das relações). A própria idade e o nível de inserção social foram os critérios para conceituar quem não se sente idoso ou envelhecido e quem é ou não envelhecido, respectivamente.

Palavras-chave: Enfermagem. Idoso. Envelhecimento. Cultura

 

22  - Estudo da morbidade em uma população idosa

Elizabeth Aparecida de Souza; Maria José Scochi; Maristela Salete Maraschin

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 380-388

Resumo Download

Este estudo objetivou identificar os agravos que mais acometeram os idosos no período de 1998 a 2005 e a capacidade funcional dos residentes na área de abrangência de quatro unidades básicas de saúde de diferentes regiões, no Município de Cascavel, Paraná, em 2007. Os dados de morbidade foram pesquisados no Sistema de Informações Hospitalar do Sistema Único de Saúde, e foram realizadas entrevistas com 141 idosos. No período estudado, a morbidade pouco variou: as doenças do aparelho circulatório foram responsáveis pelo maior número de internamentos. A média geral de doenças referidas pelos idosos foi de 2, com destaque para as cardiovasculares. Dentre os entrevistados, 136 (96,5%) afirmaram realizar todas as atividades cotidianas, sem o auxílio de outras pessoas. O estudo mostra que é necessário implantar serviços voltados para as doenças crônicas, com foco na manutenção da máxima capacidade funcional pelo maior tempo possível, valorizando a autonomia e a autodeterminação dos idosos.

Palavras-chave: Idoso. Morbidade. Políticas Públicas

 

23  - Significados do conceito de saúde na perspectiva de docentes da área da saúde

Bárbara Brezolin Dalmolin; Dirce Stein Backes; Cláudia Zamberlan; Diego Schaurich; Juliana Silveira Colomé; Maria Helena Gehlen

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 389-394

Resumo Download

O estudo objetivou compreender os significados do conceito de saúde para docentes profissionais da área da saúde de uma Instituição de Ensino Superior. Pesquisa descritivo-exploratória, realizada com os coordenadores dos cursos de graduação da área da saúde atuantes em atividades de ensino superior. Os resultados evidenciaram a existência de um paradoxo em relação aos significados atribuídos ao conceito de saúde. Para alguns, a saúde é entendida como um fenômeno complexo; para outros, um fenômeno reducionista. Os dados possibilitam argumentar que houve importantes avanços na apreensão teórica e conceitual de saúde, mesmo que para alguns participantes o fenômeno saúde ainda esteja pautado em concepções reducionistas e pontuais. Abarcar o significado ampliado do fenômeno saúde implica, em suma, ampliar as possibilidades interativas além da articulação teoria e prática, por meio de debates e discussões que fortaleçam e divulguem o conceito de saúde segundo uma perspectiva ampliada.

Palavras-chave: Educação em Saúde. Profissionais da Saúde. Pesquisa em Enfermagem

 

24  - Saúde e bem-estar de crianças em idade escolar

Maria Isabel Noronha; Manuel Alves Rodrigues

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 395-401

Resumo Download

A percepção que as crianças têm sobre a sua própria saúde é um importante indicador para a definição de estratégias de promoção de saúde infantil. Este estudo correlacional analisa a percepção de saúde de uma amostra probabilística acidental de 216 crianças portuguesas do ensino básico. O questionário de recolha de dados (CHIP-CE) revelou boas propriedades psicométricas (alfa=0,84). Os resultados indicam médias e desvios-padrão de cinco fatores: Conforto (4,34; 0,45); Evitamento de risco (4,18; 0,53); Satisfação (4,03; 0,56); Resiliência (3,75; 0,60); Realização (3,75; 0,60). Resiliência e evitamento de risco são fatores com valores mais baixos. A dificuldade em realizar os trabalhos de casa e conviver com os colegas é indicadora da dimensão resiliência mais problemática. Os resultados permitem descrever o perfil de saúde e planejar uma intervenção de educação para a saúde das crianças, em contexto escolar, especialmente na área do relacionamento e motivação para o estudo.

Palavras-chave: Bem-Estar da Criança. Perfil de Saúde. Saúde Escolar

 

25  - Hábitos alimentares: validação de uma escala para a população portuguesa

Águeda da Assunção Gonçalves Marques; Fátima da Conceição Martins Luzio; José Carlos Amado Martins; Marina Montezuma Carvalho Mendes Vaquinhas

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 402-409

Resumo Download

Foi realizado um estudo de natureza quantitativa, do tipo descritivo-correlacional, com o objetivo de validar uma Escala de Hábitos Alimentares (EHA) para a população portuguesa. Participaram no estudo 418 indivíduos, de ambos os gêneros, da região Centro de Portugal, mediante o processo de amostragem não probabilística acidental, com o recurso de questionários de autopreenchimento. O instrumento de coleta de dados teve como base a caracterização sociodemográfica e a obtenção de informação para caracterização dos hábitos alimentares para a população portuguesa. A EHA apresenta 40 itens avaliados por uma escala tipo Likert, de ordem intervalar, que revelou boas propriedades psicométricas, com um Alpha de Cronbach global de 0,816, perspectivando, deste modo, a sua aplicação em investigação científica.

Palavras-chave: Hábitos. Alimentares. Escala. Validação

 

26  - Mortalidade e assistência oncológica no Rio de Janeiro: câncer de mama e colo uterino

Raíla de Souza Santos; Enirtes Caetano Prates Melo

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 410-416

Resumo Download

O município do Rio de Janeiro apresenta grandes taxas de mortalidade para o câncer de mama e colo uterino. Analisou-se a trajetória dos óbitos por câncer de mama e colo uterino no município do Rio de Janeiro e relacionaram-se a oferta de serviços de saúde e o fluxo de pacientes entre o local de residência e o hospital. Estudo ecológico de base populacional que analisou óbitos por câncer de mama e colo uterino no município do Rio de Janeiro, no período de 2005-2008, mapeando os fluxos de casos da residência para os serviços de saúde. O Sistema de Informação sobre Mortalidade registrou, no período analisado, 3.384 óbitos por câncer de mama e 771 óbitos por câncer do colo de útero. A localização geográfica dos estabelecimentos de saúde define uma distribuição espacial dos óbitos extremamente desigual, alternando padrões de escassez em algumas áreas (periferia da cidade) e excesso em outras (Centro).

Palavras-chave: Neoplasias da Mama. Neoplasias Uterinas. Mortalidade. Acesso aos Serviços de Saúde

 

REFLEXÃO

27  - O controle da tuberculose na perspectiva da Vigilância da Saúde

Paula Hino; Claudia Benedita dos Santos; Tereza Cristina Scatena Villa; Maria Rita Bertolozzi; Renata Ferreira Takahashi

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2011;15(2): 417-421

Resumo Download

Considerando que o referencial teórico da Vigilância da Saúde (VS) pode constituir um importante modelo para monitoramento da situação de saúde, este estudo reflexivo tem por objetivo discutir as possibilidades de contribuição no controle da Tuberculose. Com base em estudos anteriores de grande escala, a discussão aponta que a identificação de áreas heterogêneas de risco pode fornecer subsídios para a escolha das intervenções direcionadas para as necessidades de grupos mais vulneráveis, contribuindo, assim, para diminuir as iniquidades em saúde. A VS utilizada na Estratégia de Saúde da Família torna-se um profícuo meio de transformar os processos de trabalho em saúde, ao propiciar a compreensão ampliada do objeto da atenção e estimular intervenções nos determinantes da Tuberculose.

Palavras-chave: Tuberculose. Epidemiologia. Saúde Pública. Doenças endêmicas

 

© Copyright 2017 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1