ISSN (on-line): 2177-9465
ISSN (impressa): 1414-8145
Escola Anna Nery Revista de Enfermagem Escola Anna Nery Revista de Enfermagem
COPE
ABEC
BVS
CNPQ
FAPERJ
SCIELO
REDALYC
MCTI
Ministério da Educação
CAPES

Volume 21, Número 1, Jan/Mar - 2017



DOI: 10.5935/1414-8145.20170026

ERRATA

ERRATA

No artigo "Manutenção da lactação de recém-nascido pré-termo: rotina assistencial, relação mãe-filho e apoio", com número de DOI: 10.5935/1414-8145.20150085, publicado na Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2015; 19(4):635-640,
Onde se lê: Passa-se a ler:
1. Machado LV, Boarini ML. Políticas sobre drogas no Brasil: a estratégia de redução de danos. Psicol. cienc. prof. 2013 mar;33(3):580-95. 1. Maran E, Uchimura TT. Mortalidade Neonatal: fatores de risco em um município no sul do Brasil. Rev. Eletr. Enf. [internet]. 2008 Jan/Mar; [cited 2004 Feb 15];10(1):29-38. Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/v10/n1/v10n1a03.htm.
2. Ministério da Saúde (BR). A política do ministério da saúde para a atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. 2a ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2004. 2. Salge AKM, Vieira AVC, Aguiar AKA, Lobo SF, Xavier RM, Zatta LT, et al. Fatores maternos e neonatais associados à prematuridade. Rev. Eletr. Enf. [internet]. 2009 Jul/Sep; [cited 2014 Feb 15];11(3):642-6. Available from: http://www.fen.ufg.br/fen_revista/v11/n3/pdf/v11n3a23.pdf
3. Schneider ARS. A rede de atenção em saúde mental: a importância da interação entre a atenção primária e os serviços de saúde mental. Cienc. saude colet. 2009 jul/dez; 2(2):78-84 3. Costa R, Padilha MI. A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal possibilitando novas práticas no cuidado ao recém-nascido. Rev. Gaucha. Enferm. [internet]. 2011 abr/jun [cited 2014 Feb 24];32(2):248-55. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v32n2/a06v32n2.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472011000200006
4. Schneider JF, Roos CM, Olschowsky A, Pinho LB, Camatta MW, Wetzel C. Atendimento a usuários de drogas na perspectiva dos profissionais da estratégia saúde da família. Texto Contexto Enferm. 2013 jul/set; 22(3):654-61. 4. Spir EG, Soares AVN, Wei CY, Aragaki IMM, Kurcgant P. A percepção do acompanhante sobre a humanização da assistência em uma unidade neonatal. Rev. Esc. Enferm. USP. [internet]. 2011 Sep/Oct [cited 2014 Mar 03];45(5):1048-54. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n5/v45n5a03.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000500003
5. Moretti-Pires RO, Ferro SBG, Büchele F, Oliveira HM, Gonçalves MJF. Enfermeiro de Saúde da Família na Amazônia: conceitos e manejo na temática do uso de álcool. Rev. Esc. Enferm. USP. 2011 ago;45(4):926-32. 5. Souza NL, Araújo ACPF, Costa ICC, de Carvalho JBL, da Silva MLC. Representações de mães sobre hospitalização do filho prematuro. Rev. Bras. Enferm. [internet]. 2009 Set/out [cited 2014 Mar 03]; 62(5): 729-33. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672009000500013. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672009000500013
6. Schneider DR, Lima DS. Implicações dos modelos de atenção à dependência de álcool e outras drogas na rede básica em saúde. Psico. 2011 abr/jun;42(2):168-78 6. Rodrigues AP, Martins EL, Trojahn TC, Padoin SMM, Paula CC, Tronco CS. Manutenção do aleitamento materno de recém-nascidos pré-termo: revisão integrativa da literatura. Rev. Eletr. Enf. [internet]. 2013 Jan/mar [cited 2014 Mar 03];15(1):253-64. Available from: http://revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/17067/15545 doi: 10.5216/ree.v15i1.17067
7. Rosenstock KIV, Neves MJ. Papel do enfermeiro da atenção básica de saúde na abordagem ao dependente de drogas em João Pessoa, PB, Brasil. Rev. Bras. Enferm. 2010 jul/ago;63(4):581-6. 7. Yamamoto RCC, Keske-Soares M, Weinmann ARM. Características da sucção nutritiva na liberação da via oral em recém-nascidos pré-termo de diferentes idades gestacionais. Rev. Soc. Bras. Fonoaudiol. 2009 Jan/mar;14(1):98-105. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342009000100016
8. Moretti-Pires RO, Lima LAM, Katsurayama M. A formação dos médicos de saúde da família no interior da Amazônia sobre a problemática do abuso de álcool. Rev. Bras. Promoç. Saude. 2010 jan/mar;23(1):56-62. 8. Gorgulho FR, Pacheco STA. Amamentação de prematuros em uma unidade neonatal: a vivência materna. Esc. Anna Nery [internet]. 2008 Jan/mar [cited 2014 Mar 10];12(1):19-24. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ean/v12n1/v12n1a03.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452008000100003
9. Gonçalves SSPM, Tavares CMM. Atuação do enfermeiro na atenção ao usuário de álcool e outras drogas nos serviços extra-hospitalares. Esc. Anna Nery. 2007 set/dez;11(4):586-92. 9. Silva RV, Silva IA. A vivência das mães de recém-nascidos prematuros no processo de lactação e amamentação. Esc. Anna Nery. [internet]. 2009 Jan/mar [cited 2014 Mar 10];13(1):108-15. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ean/v13n1/v13n1a15
10. Ministério da Saúde (BR). Saúde Mental no SUS: As novas fronteiras da reforma psiquiátrica. 1a ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2011. 10. Tronco CS, Padoin SMM, Neves ET, Landerdahl MC. Cuidado domiciliar de recém-nascidos egressos da terapia intensiva: percepção de familiares. Rev. Enferm. UERJ. [internet]. 2010 Jan/Feb [acesso em: 15 Mar 2014];18(1):108-13. Available from: http://www.facenf.uerj.br/v18n1/v18n1a19.pdf
11. Souza LM, Pinto MG. Atuação do enfermeiro a usuários de álcool e de outras drogas na Saúde da Família. Rev. Eletr. Enf. [on line]. 2012 abr/jun [citado 2013 dez 10]; 14(2): 374-83. Disponível em: http://www. fen.ufg.br/revista/v14/n2/v14n2a18.htm. 11. Costa MCG, Arantes MQ, Brito MDC. A UTI Neonatal sob a ótica das mães. Rev. Eletr. Enf. [internet]. 2010 out/dez; [cited 2014 Mar 15];12(4):698-704. Available from: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i4.7130 doi: 10.5216/ree.v12i4.7130
12. Zambenedetti G, Perrone CM. O processo de construção de uma rede de atenção em saúde mental: desafios e potencialidades no processo de reforma psiquiátrica. Physis. 2008 abr/jun;18(2): 277-93. 12. Schmidt KT, Sassá AH, Veronez M, Higarashi IH, Marcon SS. A primeira visita ao filho internado na unidade de terapia intensiva neonatal: percepção dos pais. Esc. Anna Nery. 2012 Jan-Mar;16(1):73-81. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452012000100010
13. Paes LG, Schimith MD, Barbosa TM, Righ LB. Rede de atenção em saúde mental na perspectiva dos coordenadores de serviços de saúde. Trab. Educ. Saude. 2013 maio/ago; 11(2):395-409. 13. Kamada I, Rocha SMM, Barbeira CBS. Internações em unidade de terapia intensiva neonatal no Brasil - 1998-2001. Rev Latino-am Enfermagem [internet]. 2003 Jul-ago; [cited 2015 Dec 10];11(4):436-43. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v11n4/v11n4a05http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692003000400005
14. Delfini PSS, Sato MT, Antonelli PP, Guimarães POS. Parceria entre CAPS e PSF: o desafio da construção de um novo saber. Cienc. saude colet. 2009;14(supl.1):1483-92. 14. Mercês CAMF, Rocha RM. Teoria de Paterson e Zderad: um cuidado de enfermagem ao cliente crítico sustentado no diálogo vivido. Rev. Enferm. UERJ [internet]. 2006 May/Jun [cited 2014 Apr 05];14(3): 470-5. 2006. Available from: http://www.facenf.uerj.br/v14n3/v14n3a21.pdf.
15. Mororó MEML, Colvero LA, Machado AL. Os desafios da integralidade em um centro de atenção psicossocial e a produção de projetos terapêuticos. Rev. Esc. Enferm. USP. 2011 set/out; 45(5):1171-6. 15. Heidegger M. Ser e Tempo. Petrópolis: Vozes; 2009. 79 p.
16. Azevedo DM, Gondim MCSM, Silva DS. Matrix support in mental health: the perception of professional in territory. R. Pesq.: cuid. Fundam. Online [online]. 2013 jan/mar [citado 2014 maio 30]; 5(1): 3311-22. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1951/pdf_689 16. Boemer MR. A condução de estudos segundo a metodologia de investigação fenomenológica. Rev. Latino-Am Enfermagem. [internet]. 1994 Jan/Feb [cited 2014 Apr 05];2(1):83-94. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v2n1/v2n1a08.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11691994000100008.
17. Cortes LF, Terra MG, Pires FB, Heinrich J, Machado KL, Weiller TH, et al. Atenção a usuários de álcool e outras drogas e os limites da composição de redes. Rev. Eletr. Enf [on line]. 2014 jan/mar [citado 2014 maio 31]; 16(1): 84-92. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i1.20279. 17. Paula CC, Padoin SMM, Terra MG, Souza IEO, Cabral IE. Modos de condução da entrevista em pesquisa fenomenológica: relato de experiência. Rev. Bras. Enferm. [internet]. 2014 Mai/Jun [cited 2014 Apr 05]; 67(3):468-72. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n3/0034-7167-reben-67-03-0468.pdf. DOI: 10.5935/0034-7167.20140063
18. Vargas D, Duarte FAB. Enfermeiros dos centros de atenção psicossocial em álcool e drogas (CAPSad): Formação e a busca pelo conhecimento específico da área. Texto Contexto Enferm. 2011 jan/mar; 20(1):119-26. 18. Heidegger M. Todos nós... ninguém. São Paulo: Moraes; 1981. 72 p.

No artigo "Força de trabalho da enfermeira em serviços estaduais com gestão direta: Revelando a precarização", com número de DOI: 10.5935/1414-8145.20160067, publicado na Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2016;20(3):e20160067, onde se lê: Clarissa de Assis Carvalho leia-se: Clarissa Assis de Carvalho.

No artigo "Percepção dos monitores sobre a influência do programa de educação pelo trabalho na formação em saúde", com número de DOI: 10.5935/1414-8145.20160034, publicado na Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 2016; 20(2):254-260, onde se lê: Míriam Thaís Guterres leia-se: Míriam Thais Guterres Dias.

© Copyright 2017 - Escola Anna Nery Revista de Enfermagem - Todos os Direitos Reservados
GN1